The Legend Of Zelda: Breath Of The Wild 

Nintendo Switch | Wii U

O jogo que alimentou a curiosidade dos fãs de The Legend Of Zelda é o canto do cisne na Wii U. Ao mesmo tempo o primeiro passo da recém nascida consola da Nintendo, a Switch. Bem vindos a The Legend Of Zelda Breath Of the Wild.

Após um sono profundo, Link acorda e é levado levado a descobrir o que se passou em Hyrule… e qual o seu papel na história. O facto de ele não possuir memória, nos dá-nos a possibilidade de absorver eventos na ordem que quisermos.

Logo de início sentimos-nos em sintonia com a natureza. Podemos seguir qualquer caminho ou escalar qualquer montanha, e isso revela o que nunca nenhum jogo The Legend of Zelda nos permitiu sentir: liberdade. Podemos seguir qualquer caminho ou escalar qualquer montanha, e isso revela-nos o que nunca nenhum jogo The Legend of Zelda nos tinha permitiu sentir: a sintonia com a natureza e o sentido de liberdade.

Link possui o Sheikah Slate, um objecto que lhe permite registar e aprender novas habilidades, importantes para os famosos puzzles.

A grande novidade é que o jogo não depende apenas dos Templos, mas também dos Shrines dispersos por Hyrule que são uma excelente cenoura para o jogador se tornar um explorador.

Mais curtos, mas com puzzles divertidos, é normal darmos por nós a não acreditar como é que a resposta estava mesmo na ponta do nosso nariz!

A exploração é um elemento chave e o Link não é imune ao ambiente. Ele treme de frio ou fica a suar de calor. Temos de nos adaptar e alimentar, de acordo com os recursos disponíveis. Na nossa viagem, cozinhar é sobrevivência, e reforça-nos em determinados momentos do jogo.

O combate é semelhante aos jogos anteriores. Podemos fazer Lock no inimigo e partir para uma luta.  Mas há um pequeno twist: a durabilidade das nossas armas. Temos de as gerir em função das necessidades… mas não é de tal forma fatal, que nos impeça a progressão. Tal como na vida, por vezes é melhor retirarmo-nos de mansinho e pensar qual a melhor forma de ultrapassar o problema.

A música, elemento de distinção nos jogos The Legend of Zelda, é desta vez feita de uma forma subtil: Mistura-se com os sons do vento no prado, para se distinguir nos momentos chave.

A relação telúrica de Link com Hyrule é mágica e eleva a nossa liberdade de exploração. Tudo fruto da dedicação ao detalhe de Eiji Aonuma, que nos fez sentir como crianças cheias de espanto, por algo novo e surpreendente: The Legend Of Zelda Breath Of the Wild.


About The Author
-

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>