OS JOGOS MAIS PROMETEDORES PARA 2017

2016 foi um ano cheio de emoções em termos de jogos. Assistimos ao lançamento de futuros clássicos como Overwatch, fomos apanhados de surpresa pela polémica à volta de No Mans Sky, mergulhamos de cabeça na febre Pokémon Go e ficamos maravilhados pela tecnologia VR. Também foi o ano da Microsoft, que tem vindo a encurtar as distâncias para a PS4 graças a uma mudança de estratégia bem sucedida. “The Show must go on”… por isso aqui estão as nossas esperanças para 2017.

HORIZON ZERO DAWN (PS4, Fevereiro) 

Conhecida só pelos bonzinhos Killzone, Guerrila Games pretende subir de campeonato e vai lançar já em fevereiro Horizon Zero Dawn. Título de acção com uma direcção artística fortemente inspirada no trabalho de Roger Dean para Shadow of the Beast (um título da velhinha Amiga), é uma das grandes promessas para a PS4, j0á produzida a pensar no poder da PS4 Pro.

LEGEND OF ZELDA: BREATH OF THE WILD (WIIU/SWITCH, Março)

O grande título de lançamento para a Nintendo Switch, este Breath of the Wild ambiciona revolucionar a fórmula dos jogos Zelda. Promete voltar às origens open world da série, ao mesmo tempo que introduz mecânicas oriundas dos RPG’s ocidentais, como o crafting de objectos. Sai em março com a Switch, mas caso não estejam a planear comprar uma nova consola só para jogar este título, também irá estar disponível para a Wii U.

SEA OF THIEVES (XBOX ONE/PC)

Com o cancelamento do prometedor Scalebound por parte da Microsoft, o prémio de exclusivo Xbox One mais esperado de 2017 vai inteirinho para Sea of Thieves. Neste título produzido pela Rare, vamos poder juntar-nos online aos nossos amigos e viver a vida de piratas nas caraíbas do séculos XVIII. Estão prometidas muitas batalhas no alto mar, tesouros escondidos em ilhas remotas e rodadas de rum.

MASS EFFECT ANDROMEDA (PS4/XBOX ONE/PC, Março)

Depois de ter atingido um enorme sucesso com Star Wars Knights of the Old Republic para a Xbox original e o PC, a Bioware decidiu livrar-se das amarras da franquia Star Wars e lançou-se na produção da sua própria space opera. Dai nasceu Mass Effect, um misto RPG e Shooter que para muitos foi o ponto alto da geração anterior. Série com uma direcção artística fortemente inspirada no trabalho do artista/ilustrador Syd Mead (que tem no currículo, nada mais nada menos, que colaborações em Blade Runner, Tron e Alien), promete com este quarto Mass Effect acabar em grande as aventuras de Commander Shepard.

SOUTH PARK: THE FRACTURED BUT WHOLE (PS4/XBOX ONE/PC)

Se estão a perguntar que raio este título esta a fazer nesta lista, então é porque ainda não jogaram South Park: The Stick of Truth. Este título de 2014 é um dos jogos mais divertidos que alguma vez jogamos e visualmente idêntico aos episódios da série tv. Também é uma excelente porta de entrada para quem nunca jogou um RPG na vida, em que todo o gameplay foi simplificado para ser o mais divertido e acessível possível. Esperemos que não seja novamente adiado e que saia este ano.

RED DEAD REDEMPTION 2 (PS4/XBOX ONE)

O que dizer de um dos jogos mais influentes da última década, até amado por quem não gosta muito de jogar jogos. Até agora só mostrado num trailer curto e sem grande gameplay, o que para já deu para ver é que o motor gráfico está excelente, podendo a sequela passar-se num mundo um pouco menos árido que no título anterior.

GRAN TURISMO SPORT (PS4)

Em tempos o expoente máximo da simulação automóvel, Gran Turismo perdeu muitos fãs para franquias como Forza e Project Cars, muito devido ao facto de a Sony demorar uma eternidade a lançar novos título, preferindo apostar mais na quantidade que qualidade. Este Concept tem menos carros e menos pistas, mas promete em contrapartida ser mais detalhado e profundo. Um dos títulos que promete fazer brilhar os óculos Playstation VR, mais lá para o fim do ano.

YAKUZA KIWAMI (PS4, Verão)

Para quem tem acompanhado a Sega nos últimos anos, pode pensar que a velha Sega, a da era Mega Drive e Dreamcast, já não existe e que agora só sabe lançar títulos medianos para o mercado. Mas a boa velha Sega de antigamente continua bem viva, acontece que só dá sinais de vida na série Yakuza. Franquia ainda pouco conhecida no ocidente e longe do sucesso que tem no Japão, este remake pretende dar a conhecer aos fãs o titulo original, lançado em 2005 para a PS2.

SHENMUE III (PS4/PC, Dezembro)

Para quem jogou Shenmue 1 2 na Dreamcast, sempre implorou à Sega que acabasse a história de Ryo, deixada a meio em Shenmue 2. Já ninguém acreditava que a Sega tivesse a vontade de finalizar uma série que, embora tenha imensos fãs, também teve uma das produções mais caras de sempre. Foi então com uma enorme surpresa que no ano passado recebemos a notícia de que a odisseia de Ryo para vingar a morte do pai iria ter um fim, graças ao Kickstarter.

RESIDENT EVIL 7 (PS4/XBOX ONE/PC, Janeiro)

Somos grandes fãs da série Resident Evil, tendo especialmente apreciado o 4º capítulo. Mas o sucesso deste fez com que a Capcom transformasse a franquia num jogo de acção, para tentar concorrer com Gears of War e companhia. Mas com isso perdeu a sua alma, e isso reflectiu-se nas vendas. Com este 7º capitulo, a Capcom promete voltar às origens da série, com um título a apostar mais no survival horror e menos na acção, de raiz desenvolvido a pensar na realidade virtual.

PERSONA 5 (PS3/PS4, Abril)

Gostamos imenso de RPG´s, são um género que permite que mergulhemos durante dezenas de horas em mundos fantásticos e conhecer personagens maiores que a vida. Mas quase sempre toda a acção se passa ou em tempos medievais ou no futuro longínquo. Persona destaca-se por situar a sua acção no Japão actual, servido por uma direcção artística fora de série, com visuais ao nível de um qualquer anime.

YOOKA-LAYLEE (PS4/XBOX ONE/SWITCH/PC, Abril)

Sequela espiritual de Banjo-Kazooie, clássico dos jogos de plataforma lançado em 1998 pela Rare para a Nintendo 64, pretende preencher um vazio dos fãs que cresceram com jogos de plataformas na era da SNES e N64. Um autêntico Rare-vival.

| Notícias, Slider, Videojogos | 0 Comments
About The Author
-

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>