Marvel´s Spider-Man

Playstation 4 | Playstation 4 Pro

 

Com grandes poderes, grandes responsabilidades, e é assim que Marvel Spider-Man chega finalmente à Playstation 4 pelas mãos da Insomniac Games.

O estúdio responsável por alguns dos maiores exclusivos da marca, depois de um salto na Xbox com Sunset Overdrive, dá um salto da saga Resistance para a aranha preferida de todos, Spider-Man.

Marvel Spider-Man é para mim a melhor versão do Spidey numa consola.  Nota-se desde logo que o jogo tem uma boa estrutura de história, e que existia confiança na equipa para criar uma experiência Marvel, muito semelhante à pujança do seu mundo cinematográfico.  

Não vamos falar da história porque não queremos Spoilers, mas o simples facto de não ouvirmos toda a história, sobre a origem dos poderes de Peter Parker, e passar directamente para uma narrativa original, é já por si, um plus!  É a versão do universo que mais gosto, Peter Parker o cientista, Mary Jane Watson cheia de pelo na venta, e tia May desenrascada e autónoma.  Aliás, o jogo está tão adaptado, ainda que dentro de alguns constrangimentos óbvios para os que só agora entram neste universo, que é furioso na quantidade de piadas, ou menções a Spider-Man nos seus vários formatos, seja BD, cinema ou tv.

O combate é rápido, e assenta no esquema de combinações, e que estamos constantemente a ganhar experiência, e a adicionar novos golpes que sem dúvida ajudam no flow do combate. Spider-Man alterna entre combate no chão e com o seu web slinging, que faz todo o sentido. Apenas senti que nem sempre controlamos como queremos e e caso de aperto pode-se tornar caótico. Parece que o jogo quer ser ponderado no combate e até oferecer variedade, mas por vezes é mesmo complicado fazer aquilo que queremos.

E por falar em web slinging, viajar com Peter Parker pela cidade de Nova Iorque é não só relaxante, mas super interessante ver num jogo tantos edifícios icónicos da Big Apple. Sentimos que a cidade não é apenas o cenário, mas também uma personagem.

Agora comum nos jogos sandbox, podemos desbloquear novas missões, ou side quests através de torres. Tudo aquilo que podemos fazer, além da história está devidamente identificado no mapa e há muito por fazer.  De ajudar a NYPD em assaltos, recolher mochilas de Peter, perseguir a Black Cat através de pistas, fotografar espaços da cidade, desafios do Taskmaster, ou puzzles que me fazem lembrar Pipemania, não falta conteúdo para dar mais uma horas ao jogos.

De todos os extras, apenas acho  que os puzzles foram uma forma artificial de prolongar o jogo que não é muito bem conseguida, talvez por serem demasiados e fáceis. Além de tudo isto, Spidey também tem ao seu dispor uma quantidade de fatos e gadgets úteis, mas se queres platinar o jogo de uma forma mais rápida, recomendamos a apenas gastar estes trunfos depois de terminares a história, pois é bastante mais fácil, e o jogo naturalmente obriga a comprares aquilo que precisas, portante é mesmo apenas uma questão de conforto. Se queres platinar, fica a dica!


Desde o seu anúncio numa E3 já distante que todas as atenções foram para a seguinte questão, qual a semelhança entre Marvel Spider-Man, e a história de Arkham?

Marvel Spider-Man é claramente inspirado na saga Arkham. Talvez seja eu, super fã dos jogos  que me deparei constantemente a fazer uma relação entre os dois. Mas não é de todo uma queixa. É de salutar compreender que os seus pares na indústria, que souberam dar um novo alento no que era a fama dos jogos de super heróis nas consolas, e construir algo divertido, robusto e preocupado com a fonte, as comics.

Spider-Man é um jogo divertido, com um pacing digno do herói e que estamos habituados a ver, mas que sabe aplicar um tom mais negro sempre que precisa. A Marvel e a Disney anunciaram que iriam trabalhar com estúdios de pedigree, e que iriam entregar projectos às mãos certas, e com um spider-sense apurado, a Insomniac Games, soube perfeitamente o que fazer.

 


About The Author
-

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>