“O Falcão Manteiga de Amendoim”: Shia LaBeouf e Dakota Johnson embarcam em aventura pelo rio

⭐️⭐️⭐️⭐️

Espírito das aventuras de Tom Sawyer e Huckleberry Finn preenchem aventura pela essência americana.

Sem sair do conforto do sofá, quantos de nós não descobrimos o sentido de aventura e alegria para enfrentar o desconhecido com Tom Sawyer e Huckleberry Finn?

Se conseguirmos sentir o impulso e a energia desta memória, já sabemos o que esperar de “O Falcão Manteiga de Amendoim”: rios que enleiam os sonhos de liberdade, uma jangada ao sabor do vento, o fascínio pelo Sul profundo musicado por banjos, harmónicas e violinos.

Nesta primeira longa-metragem da dupla Tyler Nilson e Mike Schwartz, não temos Tom Sawyer ou Huckleberry Finn, mas Tyler e Zak, dois companheiros com motivações distintas, que se deixam flutuar pelo rio, escapando de prisões, em busca de uma vida melhor.

Shia LaBeouf é Tyler, um apanhador de caranguejos que devaneia pela vida, após a morte do seu irmão. Num momento de vingança, ateia fogo às docas, criando um enorme prejuízo a quem agora o persegue.

Já Zack Gottsagen é Zak, um jovem de vinte e poucos anos com Síndrome de Down. Vive num lar de idosos, desejoso por fugir. Passa os dias a ver uma cassete velha de Salt Walter Redneck (Thomas Haden Church) e sonha fazer parte da sua escola de wrestling.

Quando os dois se cruzam, uma amizade única floresce. Tyler descobre um novo irmão e Zak perde os receios, vivendo experiências nunca antes possíveis sobre a alçada da super-protectora do lar, Eleanore (Dakota Johnson), ela que acaba por se unir a eles na expedição. Zak aprende a nadar, disparar, lutar, é baptizado, apanha peixe com as mãos, embebeda-se. Vai crescendo e despontando até ao final algo abrupto, onde Zak ergue as suas asas e dá alento à humanidade.

A banda sonora de Zach Dawes, Jonathan Sadoff, The Staples Singers e ainda dos membros dos excelentes The Punch Brothers, pautam a essência “americana”, filmada pelo olhar de Nigel Buck, director de fotografia da série “True Detective”. Insetos povoam os pântanos, os troncos arrastam-se nas águas, o horizonte é longínquo e o sol bate nos rostos sofridos de Gottsagen, LaBeouf e Johnson, enquanto procuram sentido de família e conexão na vastidão do rio ou dos milheirais.

Estes tons de fábula encantam as peripécias de Gottsagen e LaBeouf, que com uma química inesquecível, se misturam nas suas próprias personagens, fugindo do mundo real, ajudando a sarar os seus traumas e a revelar os seus heróis interiores. No caso de Zak: o wrestler Peanut Butter Falcon.

“O Falcão Manteiga de Amendoim”: nos cinemas a 29 de agosto.

Crítica: Daniel Antero


About The Author
-

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>