Splatoon 2 Review Analise

 

Splatoon 2

Nintendo Switch

 

A Nintendo Switch não para de lançar jogos e está na altura de darmos um salto a Splatoon 2, um dos que mais marcou a antiga consola da Nintendo e que promete espalhar um caos de tinta!

Parece que foi ontem, mas em 2015 assistimos ao nascer de um novo conceito para as consolas da Nintendo. Splatoon, com um lançamento ainda que tremido em conteúdos, foi ganhando a sua dimensão possível, tanto dentro da Wii U como nos E-Sports.

O suporte a longo prazo foi o elemento fundamental para o sucesso de um jogo que no início fazia torcer o nariz aos mais cépticos fãs.  Vê a nossa review de Splatoon aqui!

O novo jogo, considerado uma sequela, é uma versão melhorada do primeiro. Mantém o charme mas traz mais conteúdo. O modo história é mais consistente e sem dúvida maior. São cerca de seis horas de semi-tutoriais, que fazem lembrar Super Mario Sunshine e um pouco de Mario Galaxy. Comparações a jogos como estes só demonstra que tem qualidade e potencial para agradar a jogadores  como eu: confesso single player, senti-me feliz por terem estendido o modo…mas fico sempre a pensar como seria um modo história mais difícil e completo.

Tal como no primeiro, em Splatoon 2 podes-te equipar no lobby, onde através de lojas e em função do teu nível e dinheiro, podes ir investindo no teu estilo. Se és pouco experiente, como eu neste jogo, vais fazer alguns investimentos…que não são bem o que esperavas…mas não tem qualquer problema! Com algum tempo e dinheiro, irás perceber o que te dará  mais jeito. Dito isto, e com um modo história que é uma excelente janela de entrada,  vamos falar sobre o modo em que o jogo ganha mais vida e onde o investimento se estende: multiplayer.

Turf Wars é o modo mais generalizado online. É onde temos de passar vários níveis de progressão para aceder a outros modos online. Se Turf Wars não fosse tão divertido, seria uma forma de massacrar aqueles jogadores que queriam de Splatoon uns modos mais parecidos com os shooters  convencionais. Quando estamos naqueles jogos online em que parece que todos compreendem o que devem fazer, Splatoon 2 é incrivelmente viciante. Mas é aí que surge  um problema. Quando jogamos online, as equipas estão sempre a ser compostas…e não conseguimos manter uma equipa vencedora. O matchmaking torna-se então esquisito, pois se gostamos da dinâmica da equipa em que estamos… porque é que temos de mudar?  Isto conduz muitas vezes a saltar para equipas nas quais não nos damos tão bem…e como seria de esperar, perdemos muitas vezes. Perder significa atrasar a progressão. É então uma gigante bola de tinta! Não poder trocar de arma no lobby ou ter uma aplicação para ter chat no jogo, são outras situações, mas de menor importância. Em Splatton 2 os jogos são rápidos e intensos, e com o tempo a minha frustração foi diminuindo. E lá está…não conseguia parar de jogar! (Até no autocarro… Obrigado Switch!)

Depois de atingirmos nível 10 podemos aceder a Ranked Matches, onde estão de volta Tower Control, Rainmaker e Splatzones.  O meu modo preferido até agora é o Rainmaker, e em breve poderão acompanhar no nosso canal youtube Let´s Plays de cada modo.

Os mapas também mudam mais frequentemente. Em vez das antigas quatro horas, agora mudam de duas em duas, o que dá uma maior rotatividade e permite reconhecer com mais facilidade os mapas todos que Splatoon 2 tem para te oferecer, mesmo que jogues apenas um pouco por dia.

Salmon Run é também um novo modo de jogo, trata-se de um horde ao estilo de Gears Of War, onde criamos um grupo de quatro amigos, para nos aguentarmos com ondas de inimigos que nos querem fazer a folha. Mas só está disponível de tempos a tempos e ainda não consegui testar esse modo.  

Eis que chega o veredicto…e Splatoon 2 é mais e melhor do que o primeiro! Se passaram da Wii U para a Switch e já eram clientes deste jogo, então sem dúvida que vão gostar! Mas se saltaram a geração anterior e agora querem um jogo multiplayer, vão conhecer uma versão mais refinada de Splatoon. Só  ficam a ganhar!

 


About The Author
-

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>