T2 Trainspotting

T2 Trainspotting é a correcção das opções,  as confissões e os arrependimentos,  é o voltar a casa onde conhecemos o cheiro, os sons, as texturas e as cores… é o abraço de quem se traiu e abandonou.  É o retorno do velho gangue, vinte anos depois, com muita mágoa, dissimulação e contas para ajustar.

Spud, Renton, Sick Boy e Begbie separaram-se da pior forma, com 20000 libras em desacordo e destinos bastante distintos:

Spud tem um filho, mas continua agarrado,  mesmo depois de todos os planos de doze passos em que se inscreveu…agora,  o suicídio parece-lhe ser a única solução.

Renton está em Amesterdão, é contabilista e tem insuficiência coronária;

Sick Boy, tem um esquema de extorsão que envolve strap-ons e uma namorada búlgara…e um pub decadente para gerir.

Begbie não consegue liberdade condicional e até parece que sabe mais que o seu advogado.  Decide fugir e recuperar o tempo perdido.

Num ponto de viragem das suas vidas, voltam a reencontrar-se em Edimburgo, para um segundo olhar sobre a amizade e a traição, sempre com a nostalgia escapista do som de Young Fathers, Underworld, Iggy Pop ou The Clash, a pontuarem as memórias de uma cidade filmada freneticamente por Danny Boyle.  Num acto de estilo e paixão, Boyle utiliza todas as suas técnicas artísticas para aprisionar os momentos, congelando a imagem na expressão devida, recorrendo a flashbacks de cenas famosas do primeiro filme e usando filmagens Super-8, relembrando que a amizade destas quatro personagens remonta ainda mais atrás no tempo.

Tempo que passou e onde fizeram escolhas. Prestar vassalagem, subjugados pelo sistema, postar a vida no Facebook, Instagram, Snapchat e esperar que alguém se interesse, viver sobre os seus ideais ou aguardar que nos indiquem o caminho.  Esconder as escolhas mal feitas e crer que as novas abafem o passado, enquanto a alegria do reencontro não se desvanece…  Mas o caminho está traçado e a linha que os guia tem uma paragem à espera: vingança para Sick Boy e Begbie, redenção para Renton e Spud. Mas o mundo mudou e eles não. Descarrilando… continuam a tentar sair do buraco nojento em que se enfiaram e passaram parte das suas vidas, até agarrarem na sanita em punho como arma de arremesso, num momento de grande ironia em que tudo se resolve… e acabam por… escolher a vida.

ESTREIA: 23/02/17


About The Author
-

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>